top of page
  • Foto do escritorCamila de Aguiar

E se as redes sociais acabarem? Para onde você vai?

E se o Instagram, o Facebook, o LinkedIn ou o YouTube acabarem? Os seus clientes teriam como encontrá-lo de outra forma?

Precisamos lembrar que as redes sociais são instáveis e finitas. Você se lembra do caos digital que vivenciamos quando o WhatsApp saiu do ar? Instabilidade. Você se lembra do fim do Orkut, MSN, Google+, Myspace e Vine? Finitude.


Seja multiplataforma

Por isso, é fundamental que você seja multiplataforma nas mídias sociais — e que esteja atento a alguns pontos.


1. Apareça no Google

Quando você precisa buscar por alguma coisa ou alguém, aposto que você acessa o Google. Por isso, é fundamental que você trabalhe com plataformas que sejam indexadas neste buscador. Criar um site, ao contrário do que parece, não está fora de moda — é um ótimo exemplo de ponto de contato digital acessível, passível de ser indexado em buscadores, e sobre o qual você tem total controle.


2. Seja coerente

Ok, você é multiplataforma e garante que as pessoas vão encontrá-lo no Google. Isso não basta! É preciso que, além de atualizados, seus pontos de contato sejam coerentes entre si. A pessoa que o seu cliente encontra no LinkedIn precisa ser a mesma que ele encontra no Instagram, no site, no Facebook e em qualquer outra rede social. E coerência é algo que trabalhamos em uma estratégia de Branding Pessoal.


3. Tenha canais diretos

Além das redes sociais, é importante que você disponibilize canais diretos para que seus clientes possam encontrá-lo. São exemplos: número de telefone e E-mail. Assim, você não depende que o seu cliente tenha acesso a uma determinada plataforma para conseguir encontrá-lo.


E aí, analisando seu posicionamento digital, você acredita que está preparado para encarar um cenário de instabilidade nas redes sociais? 👇
4 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page